Comunicado da Direção

Vem por este meio, a Direção do Clube Oriental de Lisboa, manifestar publicamente o seu apoio, solidariedade e companheirismo ao Vice-Presidente Joaquim Brás, alvo de ofensas á sua dignidade de homem e de dirigente, através de um vídeo publicado nas redes sociais.

Nunca na história do Clube Oriental de Lisboa se assistiu, a semelhante campanha de difamação, calunia, ofensas e ameaças aos elementos da Direção, eleitos democraticamente pelos sócios.

Não existem orientalistas de primeira nem de segunda, mas é estranho a apetência pelo poder a todo o custo, atropelando todos os valores da ética e da educação.

O Oriental não é uma agência de empregos para amigos, por muito que isso custe a algumas pessoas. As verbas que são geridas pela Direção, têm por fim, a gestão corrente do clube, a dinamização das suas atividades, e a concretização de projetos fundamentais para o nosso desenvolvimento, como são a certificação e o licenciamento do clube.

O Oriental, não será com esta Direção, um clube onde elementos que após dezenas de anos de ausência ou após uma fugaz passagem pelo clube, vêm agora declarar o seu amor eterno ao mesmo, em busca de uma suposta função dentro do clube, que lhe proporcione um futuro proveito financeiro.

Esta Direção está satisfeita com os trabalhadores que estão ao serviço do clube, não necessitando de elementos que não acrescentariam nada ao clube, quer a nível profissional que a nível social.

As ofertas de convites para os jogos, em número considerável, têm também os dias contados, pelo que aqueles que viviam de expedientes e estavam acostumados a largas oferendas, estão a ficar receosos em relação ao futuro. Os convites vão ser rigorosamente escrutinados, não será mantida a gestão corrente de convites para os amigos.

Compreendemos a reação dos sócios aos resultados da equipa de futebol sénior, pois a posição em que a equipa se encontra, também não vai ao encontro das pretensões da Direção. No entanto podemos afirmar, que a Direção está a fazer todos os esforços para ultrapassar a crise de resultados.

Todas as decisões são tomadas pelos elementos da Direção, com ponderação, responsabilidade e rigor.

A análise de um mandato faz-se no final desse mandato. Iremos trabalhar arduamente para que os compromissos assumidos, para este triénio sejam cumpridos, até ao final do mesmo.

Não nos atemorizam as ameaças, somos homens livres, estamos numa freguesia cuja história de resistência é exemplo.

Queremos e vamos estar á altura das anteriores direções que com o seu empenho, abnegação, sacrifício e orientalismo, construíram este clube histórico, seremos seus seguidores e sucessores.

Só quem não luta é vencido, e nós não vamos desistir de lutar pelo que acreditamos, um Oriental, forte e pujante no futuro, quer seja nas atividades desportivas, culturais, ou nas infraestruturas modernas e funcionais.

Nesta altura a união de todos em torno do clube é fundamental.

Viva o nosso Clube

Viva o Clube Oriental de Lisboa

Mais que um Clube, uma Paixão

Comentários