Na antevisão ao jogo com o Farense deste sábado, Litos mantém-se focado em assegurar a permanência na Segunda Liga e aponta sem receios a um único alvo: vencer. 

O treinador do Oriental admite que será “uma batalha difícil” e destaca a qualidade dos seus jogadores como trunfo para levar a melhor sobre o emblemático emblema algarvio.

“Mantenho o que disse porque caso contrário não estaria cá, temos plantel para alcançar o objetivo e por isso é importante fazermos um bom jogo em Faro para tentarmos um bom resultado que é, obviamente, ganhar. É esta a mensagem que tem sido passada aos jogadores: se noutras alturas amealhar um ponto era importante, nesta fase em que estamos e atendendo à nossa posição na tabela classificativa teremos que correr mais riscos e tudo fazer para conquistar os três pontos”, refere Litos.
 
 
 
À entrada para a 33.ª Jornada da Ledman LigaPro Farense e Oriental estão separados por cinco pontos, sendo a formação do sul a ocupar a primeira posição acima da linha de água. Um duelo em que as duas equipas vão querer triunfar e que, pelo facto de ser disputado do Estádio de São Luís, poderá segundo Litos resultar “em mais espaço para nós explorarmos as nossas saídas para o ataque”. Uma estratégia que tem que surgir aliada à atitude guerreira dos nossos atletas.

“Quando cheguei ao Oriental a minha prioridade foi dar tranquilidade aos jogadores para que eles possam pôr em campo todo o seu potencial. Sabemos que esta é uma fase difícil que nos deixou nos lugares inferiores da classificação e que tudo isso mexe com o momento do jogadores e inibe a sua prestação. Por este motivo temos que explorar a enorme capacidade que todos eles têm de acreditar e de dar em cada jogo tudo o que têm para dar, sacrificarem-se em prol do Clube e da equipa para que nós possamos atingir o nosso objetivo”, atira o treinador de 49 anos.

Destacando que este ainda será um “campeonato longo” pelas 14 jornadas ainda por disputar muitas delas contra equipas que também estão na luta pela manutenção, Litos salienta a necessidade de “gerir o cansaço dos atletas” e de “tratar das mazelas físicas que alguns ainda possuem” para que todos possam dar o seu contributo à equipa nas melhores condições. Um espírito de união onde os adeptos também desempenham um papel fundamental que Litos faz questão de evidenciar.

“Aproveito para voltar a agradecer o apoio que os orientalistas deram à equipa durante todo o jogo com o Gil Vicente, foi muito importante para nós. Mesmo na fase mais difícil, quando ficámos reduzidos a 10, eles foram incansáveis na ajuda que deram à equipa para que pudéssemos alcançar naquela fase do jogo, e na impossibilidade de melhor, um ponto importante. Espero que este espírito se mantenha até ao final da nossa luta e mesmo com a distância que existe até ao Algarve acredito que neste sábado vão estar alguns orientalistas presentes para nos darem esse carinho e esse apoio”, concluiu.