O segundo encontro entre Oriental e Sp. Ideal surge com muitas diferenças e outras tantas semelhanças em relação à partida da primeira volta entre as duas formações da Série E do Campeonato de Portugal. O duelo desta vez disputado no Estádio Municipal da Ribeira Grande, nos Açores, vai presenciar um Sp. Ideal transfigurado pela recente mudança de treinador, pela clara mudança de esquema tático e pelos reforços que rapidamente ganharam espaço no onze titular açoriano. No que toca às semelhanças com a já longínqua 4.ª jornada da competição, as duas equipas voltam a defrontar-se em bom momento pelas vitórias conquistadas na última jornada e cada uma delas se mantém viva nas suas aspirações de, por um lado, assegurar a manutenção, e, por outro, perseguir os lugares cimeiros da tabela classificativa. No primeiro round a vitória sorriu ao Oriental com um golo de Victor Veloso. E agora, como será?

André São Miguel é um jovem treinador de 28 anos que assumiu o comando técnico do Sp. Ideal há cinco jornadas para o lugar de Luís Roquete. Com apelido condizente com a ilha do clube que agora representa, o timoneiro que deixou o cargo de preparador físico no Sp. Braga para assumir o seu primeiro projeto em nome próprio começou o seu percurso com quatro derrotas consecutivas mas na última jornada conseguiu uma preciosa vitória no reduto do concorrente direto Lusitano VRSA por 0-1. O triunfo, conquistado com um golo solitário de Benevides proveniente de uma brilhante jogada coletiva, representou um balão de oxigénio para a turma de São Miguel numa luta pela manutenção que promete ser renhida até final.

Na deslocação a Marvila o Sp. Ideal apresentou um invulgar sistema de 3x5x2 substituído por uma mais comum 4x2x3x1 ainda na era de Luís Roquete. À 14.ª jornada entrou em cena André São Miguel mas as linhas mestras do esquema tático mantiveram-se até ao momento atual apenas com a nuance das entradas de alguns reforços para o onze titular. Na baliza Mamadou Ba, guarda-redes de 32 anos internacional senegalês com experiência de 1.ª Liga pelo Boavista, chegou em Janeiro e já ganhou a titularidade ao cabo-verdiano Imerson, que até tinha feito uma grande exibição em Marvila. Ba traz experiência à equipa mas o seu fraco jogo de pés poderá ser um ponto a explorar pela formação de Marvila. Na ala direita da defesa o coreano Kim parece estar na frente por um lugar no onze depois de se ter estreado como titular nas últimas duas jornadas e no centro Paulo Dinarte deverá regressar ao onze para fazer dupla com a promessa brasileira Matheus, jovem de 21 anos que fez a sua formação no Santos e no Fluminense. Matheus foi substituído ao intervalo do último jogo provavelmente por lesão e, caso os problemas físicos se mantenham, deverá ser substituído por Bertrande Valentão numa linha defensiva que fecha à esquerda com o titular indiscutível João Grilo.

Na linha intermédia a dupla de médios defensivos é composta por Artur Santos e pelo nosso bem conhecido Diogo Pires e logo de seguida devem alinhar João Ventura, reforço de inverno ex-Santa Clara, pela esquerda, Marco Aurélio pela direita e Hugo Santos, melhor marcador da equipa com 5 golos, nas costas do ponta-de-lança Hélder Arruda. No banco André São Miguel conta ainda com alternativas ofensivas como Eliel, avançado brasileiro que chegou aos Açores este inverno, e essencialmente Benevides, extremo de fino recorte técnico que é o outro artilheiro máximo da equipa e que pode inclusive ser opção para o onze inicial muito por ter sido o autor do tento da vitória na última jornada.

Este Sp. Ideal tem nos gigantes da sua linha defensiva uma das suas principais armas que podem fazer a diferença nas bolas paradas. Para além do 1,98m do guarda-redes Ba, os centrais Bertrande Valentão (1,93m) e Matheus (1,89m) também fazem a diferença nas alturas em lances tanto defensivos como ofensivos. Por outro lado, a capacidade técnica de jogadores como Benevides, Marco Aurélio e Hélder Arruda estará pronta a fazer estragos em termos ofensivos e num jogo em que a equipa açoriana deverá baixar as linhas uma mera desatenção da defesa orientalista talvez possa ser fatal. Do lado inverso da moeda, esta equipa do Sp. Ideal parece não oferecer grande intensidade ao jogo, sendo de prever que neste duelo com o Oriental a equipa de André São Miguel opte por manter o ritmo de baixo de forma a neutralizar a vontade de vencer do Oriental e a segurar o empate durante o maior período de tempo possível. A três pontos de distância do último lugar e a apenas um da linha de água, pontuar já seria um excelente resultado para o Sp. Ideal no confronto com o 4.º classificado Oriental.

Empatar é exatamente aquilo que o Oriental não quer para este jogo. Os pupilos de António Pereira seguem firmes na perseguição aos lugares cimeiros da tabela classificativa e o confronto direto entre Casa Pia e Farense nesta jornada, segundo e primeiro classificados, respetivamente, dá margem ao C.O.L. para sonhar com a aproximação ao topo. A formação de Marvila rubricou uma prestação de alto nível na segunda parte do encontro com o Estrela VN (2-0) e mantendo esse nível exibicional a vitória nos Açores estará certamente mais perto. Mas mesmo que o futebol ofensivo não flua como desejado, a entrega e combatividade que os Guerreiros imprimem sempre ao jogo poderá ainda assim ser suficiente para a vitória. E todos sabemos que os campeões não ganham sempre com grandes exibições…

Se vencer o Sp. Ideal e caso o Casa Pia perca ou empate com o Farense, o Oriental cola-se ao segundo lugar da tabela classificativa que poderá dar acesso ao play-off de subida de divisão. O conjunto grená e branco tem sempre corrido por fora nesta luta entre os candidatos assumidos Farense, Casa Pia e Olhanense, mas mesmo com recursos financeiros muito inferiores a estes adversários o Oriental nunca os perdeu de vista e vai seguindo o seu caminho à espreita, quem sabe, de uma oportunidade para sonhar. Faltam ainda muitos jogos e há muitos pontos em discussão, mas passo a passo, tal como temos feito até ao momento, tudo é possível Quem sabe…